outras vozes, outros saberes

Leio a história da jovem de 18 anos, mãe de três filhos, presa por negligência porque, enquanto trabalhava como faxineira, o marido espancou uma das crianças até a morte. Uma história real e bem mais comum do que a gente imagina, que escancara a combinação perversa entre machismo, racismo e ineficiência das políticas públicas para problemas privados.

Mas por onde começar para acertar o passo? Como compreender que as consequências da falta de estrutura de uma família dessas é uma questão muito maior do que a casa deles? Como ultrapassar a visão de que aquela jovem poderia ter evitado chegar aos 18 anos com três filhos? Como sair do ciclo vicioso que nos leva a ver como vilã uma mulher nessas condições?

Poucos dias atrás, falávamos aqui sobre a ideia de que apenas o respeito à diversidade e uma profunda conexão com a natureza podem trazer um novo significado à vida moderna. A sugestão  está no maravilhoso livrinho Ideias para Adiar o Fim do Mundo, de Ailton Krenak, líder indígena para quem a saída da humanidade passa pelo reordenamento dos espaços, pelo respeito às diferenças, por novos modos de relacionamento com a terra e por outro tipo de compreensão sobre as coisas que realmente importam.

Desprezar a pluralidade das formas de existência, ao contrário, torna mais longa e mais difícil a estrada para a recuperação da humanidade que ficou pelo caminho. Afinal, como sustentar que somos humanos diante da escalada da intolerância, do extremismo e da desigualdade que têm marcado o nosso tempo?

Fazer as coisas de outro modo para obter resultados diferentes é o que nos ensina a velha máxima comumente atribuída a Albert Einstein. 

Ouvir outras vozes, buscar soluções em lugares tradicionalmente colocados à margem, entender outras práticas e outros saberes, estreitar o diálogo com o que nos é estranho e distante: quem sabe desta maneira seja possível reescrever estruturas econômicas, rever relações sociais, restabelecer a ética no fazer político, acreditar novamente na ação coletiva.

Taí um desafio interessante.

Um comentário sobre “outras vozes, outros saberes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s