obrigada, 2014 | seja bem-vindo, 2015

Foi um ano de passos grandes, mudanças significativas, algumas ausências e algumas expectativas desfeitas. Causei também os meus desapontamentos, que espero corrigir na temporada que começa agora. Ouvi menos música do que gostaria, passei a entender melhor o que o corpo ensina, respirei com mais consciência que antes, vi meus amigos menos do que me faz bem, trabalhei um bocado pensando no bem da cidade em que vivo. Mudei de emprego. Coloquei no papel o casamento da prática. Testei inúmeras receitas novas na cozinha e felizmente a maioria deu certo. Aprendi um pouco mais sobre a vaidade dos homens e senti ainda mais forte minha convicção de que melhor que o poder é a potência, melhor que o acúmulo é a permanência, melhor que o exagero é o equilíbrio, melhor que a posse é o sentido. Dancei e cantei. Pedalei menos do que gostaria. Li Diários de Bicicleta e gostei do que David Byrne anotou. Optei sempre que possível pelos alimentos orgânicos, reaproveitei as sobras das panelas e separei o lixo seco do úmido, em pequenas tentativas diárias de fazer algo pela sobrevivência do planeta. Sei que posso fazer ainda um pouco mais. Acordei mais cedo que em anos anteriores. Continuei alérgica a camarões e amendoins. Sorri com os olhos. Sorri com os dentes. Sorri com o corpo todo. Chorei outro tanto. Consultei o dicionário, o horóscopo e o oráculo. Fiz acupuntura. Ganhei duas orquídeas. Cuidei das plantas com menos zelo do que devia. Concordei com o compositor, por fim: o lema do Brasil podia ser Amor, Ordem e Progresso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s