um dia as pessoas morrem na gente

É isto, nada além: um dia as pessoas morrem na gente. Pode ser um amigo que parece não se importar mais ou então aquele que telefona só quando quer ajuda, um amor que gastou todas as chances que tinha e nem toda dedicação do mundo comoveu, um primo de longe, qualquer um. Pode ser a criança que um dia morou dentro da gente, o sujeito que viajou pra longe sem dar adeus ou dizer que ia ou o visitante que chegou e nem ao menos um oi. Um dia as pessoas morrem na gente. Pode ser um dia qualquer, como hoje ou ontem ou a terça passada, um dia de agosto ou no meio do carnaval, um dia de formatura ou até no ano novo, um dia de vento sul ou calor dos infernos, de vestido curto ou jeans surrado, de boca nervosa ou falta de apetite, de cabelo desgrenhado ou os cachos no lugar. Um dia as pessoas simplesmente morrem na gente, e a gente esquece as tardes divertidas que passou no boteco, a esperança que alimenta quando ainda não viveu muito, a promessa de nunca esquecer; a gente esquece que um dia quis ficar junto pra sempre, que jurou um monte de coisas, que registrou em fotografias uma penca de momentos bonitos, que acreditou em tudo ou, exatamente como o Chico ensinou naquela canção, que ajeitou o nosso caminho pra encostar no caminho do outro. A gente faz força pra esquecer, porque sabe que precisa. A gente faz força pra esquecer, porque sabe que precisa. É isto, nada além: um dia as pessoas morrem na gente, embora continuem vivinhas da silva.

Anúncios

71 comentários sobre “um dia as pessoas morrem na gente

  1. “Um dia as pessoas morrem na gente…”. Em alguns casos essa morte podia ser mais rápida. Esquecer faz a gente seguir em frente. Lembrar faz a gente ganhar peso…

  2. Lindo texto, Ana!
    Um dia as pessoas morrem na gente… Há dias em que algumas pessoas nos deixam tão magoadas que a gente gostaria mesmo é de cometer um homicídio desses na gente. Ah, se fosse simples…

  3. Ana, seu texto é lindo! Na verdade, seus textos me emocionam sempre. E me passam uma sensação de dejá vù todas as vezes que leio. Parece que ditei eles pra ti…rsrsrs

    Acredito que certas pessoas não deveriam morrer…mas outras, demoram demais pra morrer dentro da gente! E quando morrem, deixam um alívio tão profundo, que como disse o Bermudes acima, ajudam até a emagrecer…rsrsrsrs…Obrigada por mais esse texto! É a lavada na alma que faltava para mim, para terminar de eliminar certa pessoa e enterrá-la de vez! =D

    Muito sucesso!

  4. Demoramos a matar os que menos merecem viver em nós. Um dia passa. Geralmente, nos damos conta quando já acostumamos a usar o sapato apertado, até o dia em que percebemos o furo que aliviou o pisar.

    Já matei tantas vezes e sigo matando, menos do que deveria, por auto-preservação. É doloroso, tanto o matar, quanto o perservar.

    Coragem, Ana! Vida longa a quem nos merece e morte rápida, sem cerimônias fúnebres aos que nos roubam!

  5. “um dia as pessoas morrem na gente..”, mas tem dias que outras renascem, e é bonito demais de viver.

    Enquanto eu lia o texto fui lembrando quantas pessoas já morreram em mim e quais delas já voltaram a “nascer”.

    Bonito.. muito bonito.
    Beijo!

  6. Muito me emocionou o seu texto. E mais ainda, porque estou passando por esse momento “especial” de morte (um amor que se foi). É uma fase difícil e lenta de atravessar.
    Amei de verdade. Meu abraço.

  7. Parabéns!! Vc tem um dom maravilhoso, que é tocar nossa alma profundamente. Tb estou passando por esta fase, mas estou lutando para enterrar meus mortos e seguir em frente.
    Adorei. Bjs

  8. Muito lindo seu texto… e muito verdadeiro tbm, por mais que isso possa ser doloroso…tive amigos que morreram em mim e tem dias que lembrar disso dói demais!
    Parabéns!

  9. Fui totalmente tocado por seu texto e sensibilidade. Tenho vivido um luto com muita dor, que já dura quase um ano, mas eu sei que essa morte definitiva vem e ficarão apenas as lembranças boas, em breve, em muito breve!! “)

  10. Passou aqui um filme com pessoas e pessoas que foram/estão apagadas. Algumas pelo tempo, outras oela distância e outras pelo distanciamento. É triste e lindo ao mesmo tempo. Valeu!

  11. …depois de alguns poucos meses, 15 meses talvez, findo um casamento de 22 anos, alisando o lençol, olhei para meu dedo anular e então percebi como já estava liberta, porque pensei:…hoje, eu olhei pro meu dedo vazio e lembrei de vc…Qualquer parte da gente que a gente pensa que morre, porque: uma pessoa, uma situação ou qualquer coisa muda, na verdade tira-nos de uma zona de conforto. É legal quando a primavera chega…

  12. Penso que as pessoas “morrem” porque a vida tem sua dinâmica, os interesses mudam, novos parceiros são incorporados mais de acordo com o que se está vivendo no momento. Mas fica uma coisa gostosa, um carinho, uma ternura, um querer bem. E pronto. Vida que segue.
    Adorei seu jeito de escrever!
    Um beijo e sucesso!

  13. boa noite ANA.

    muito bacana sua postagem,curti muito.
    ultimamente tenho passado por fato MUITO semelhante,
    tenho uma ex namorada q tambem é CADEIRANTE e adoravaa sair,estar com ela.mas ultimamente tenho notado q ela só tem me usado,q ela nao deseja de fato minha presença,ao contrario de mim,quer q saia com ela pra ter com quem sair,maas depois parece q so estou ali por estar.

    ainda ha amo muito mas ja estou cansando disso.

  14. Nossa, tudo que sempre quis dizer!! Um dia as pessoas morrem na gente! As vezes nem gostaríamos que isso acontecesse, mas acaba acontecendo. Principalmente quando se trata daquelas pessoas cujos laços são de sangue, a distância, os acontecimentos acabam afastando e aos poucos matando toda essa gente em nós. Mesmo que não seja o que se quer, mas morrem, ou adormecem! Eu adorei o seu texto, parabéns!

  15. Sim, Ana. “Um dia as pessoas morrem na gente”. Exatamentee, nesse dia, descemos aos nossos porões pessoais e encontramos coisas que jamais percebíamos que estavam ali. Nesse instante, sepultamos coisas sofridas, para que “noutro dia, outras pessoas nasçam na gente”.

  16. Bom dia Ana Laura….q texto lindo, ao mesmo tempo tão triste! Aii, gostei muito! Principalmente desta parte ” um amor que gastou todas as chances que tinha e nem toda dedicação do mundo comoveu,” . O negócio é seguir em frente, né? Usarei como status do whatsapp! Maravilha!!!!

  17. Olá Ana, belíssimo texto. Descreve um pouco momento em que vivi no final de 2015… Lamentável como uma pessoa amiga pode surgir e desaparecer das nossas vidas… Um abraço cordial! Bom te conhecer.

  18. Belo texto! Também escrevo, na minha visão boas leituras precisam ser fáceis e profundas, que falam na alma e da alma! Estou vivendo este momento e mortes internas de alguns personagens da vida!

  19. Simplesmente maravilhoso teu texto…este sentimento de morte dentro da gente faz parte do movimento de evolução de todos nós…quando estas pessoas morrem dentro da gente é porque a energia mudou…comparo sempre com o tempo de escola…mudamos de série…mudamos de escola…mudamos a nossa forma de pensar…passamos de ano…evoluímos…e para evoluir é preciso que que pessoas saiam para outras entrarem…é preciso morrer para renascer…é preciso podar para brotar…
    Sentimos esta morte sim…sentimos porque estas pessoas que entraram nas nossas vidas e morreram dentro de nós eram importantes… sim importantes…mas importantes naquele momento…naquele entorno…naquele contexto… hoje tudo isso é memória e o que realmente tem importância é quem faz parte deste momento…deste entorno…deste contexto que estamos vivendo agora…
    Um grande abraço

  20. Adorei o texto , a vida é engraçada e realmente conseguiste explicar que nos seres humano cansamos de fazer aos outros e as atitudes das pessoas vão deixando mágoas e estás mágoas nos tornam num vazio .
    Está vazio é a morte que a outra pessoa deixa em nosso coração e para continuarmos vivendo devemos enterrar tudo que nos faz mau.

  21. Pois é! Falou tudo neste texto triste, porém sincero, importante e extremamente necessário. Amizade não é via única. Amigo que é amigo, não fica só ‘falando’: Vamos tomar aquele cafezinho qualquer hora…’ ou ‘Você está sumido, heim?’. Amigo que é amigo toma o café e aparece sempre, mesmo que por telefone! Agradeço por nos presentear com essa reflexão no dia de hoje. Beijos

  22. Na verdade a vida è dificil de ser vivida.Todos temos sonhos e sabemos que a maioria deles não se realizam,por esta razão precisamos estar preparados para seguir enfrente,superando as dificuldades que atrazam nossa vida.Abaixo o LUTO e felicitações cada vez que se supera uma lembrança pertubadora. Um abraço a todos

  23. Boa tarde Ana, acabei de ler o seu texto postado por um amigo e não resisti a curiosidade de conhecer mais pérolas suas. Que inspiração maravilhosa! Você conseguiu traduzir em palavras sentimentos profundos e lacerantes com uma leveza e doçura a perda de pessoas que saem rasgando a nossa alma quando se vão. Ao ler “Um dia as pessoas morrem na gente” me senti livre do sentimento de que eu estava “matando a afetividade” que tinha por algumas pessoas em mim sendo que elas que estavam morrendo. Um forte abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s