o café do próximo

Imagina que bonito se a moda pega: deu na Vida Simples deste mês que uma lanchonete no Rio de Janeiro e outra em São Paulo aderiram à ideia do café do próximo. Você senta e, sem se preocupar com a conta, bebe o café que o freguês anterior pagou. Se quiser (e a ideia é que você queira, de bom grado), deixa um café pago, para quem vier depois. Segundo a dona de uma das casas que adotou a prática, a cortesia não interfere nos lucros do estabelecimento, porque, afinal, um sempre paga o café do outro. “Receber visitas com um café fresquinho é uma tradição bem brasileira”, ela diz. Lembra um pouco o hábito comum fora daqui de deixar o jornal no banco da praça, no metrô ou na cadeira de um restaurante, pra quem viver depois.

Divertido, não?