time is on my side (yes, it is)

Quanta coisa cabe no tempo? Doze meses de um ano, dezenove dias de um mês, uma vida inteira de ginga, sereno e palavras inventadas? Quanta coisa cabe no tempo? A arte da fuga, a arte de escutar, meia dúzia de balanços, uma prateleira toda de filmes e os quadros pendurados na parede imaginária da existência? Quanta coisa cabe no tempo? Vírgulas, pontos finais, exclamações e as interrogações de um mundo silencioso à espera de respostas? Quanta coisa cabe no tempo? Saudade, apego, braço, desejo, café, chá de sumiço, vodca, ressaca, cheiro no travesseiro e coração partido? Quanta coisa cabe? Tempo? Quanto? Tanto? Cabe você no tempo?